quarta-feira, 31 de março de 2010

Um passaporte a mais...

Existe uma tradição logística antes de iniciar o Caminho de Santiago que é obter a Credencial do Peregrino que, embora não sendo obrigatórias para se chegar a Santiago de Compostela, são bastante aconselháveis. Podem ser solicitadas a qualquer pessoa que deseja realizar o caminho desde que o faça a pé, a cavalo ou em bicicleta.

A Credencial do Peregrino é um documento que tem a sua origem nas “cartas de apresentação” e nos “salvo-condutos” que os peregrinos levavam na época medieval e lhes concedia certos privilégios. Ainda sendo válida nos dias de hoje, a Credencial do Peregrino é o documento que nos identifica como peregrino e nos serve para ter acesso aos albergues oficiais, ao apoio médico da Cruz Vermelha e ao apoio das autoridades ao longo da peregrinação. Nos Albergues de Peregrinos a apresentação da Credencial é condição fundamental para ser recebido. No entanto, esta Credencial só é atribuída aos peregrinos que pretendem fazer um mínimo de 100 km a pé ou a cavalo ou 200 km de bicicleta. Assim, os peregrinos recebem as suas Credencias já preenchidas com o seu nome, a data e o local da partida e o modo como se faz o Caminho (a pé, a cavalo ou de bicicleta). Depois, durante a caminhada, a Credencial deverá ser carimbada nos Albergues, Refúgios, Igrejas, Polícia, e outras entidades administrativas e/ou em estabelecimentos comerciais que comprovem a passagem por todos estes pontos do Caminho. É aconselhável ter, no mínimo, dois carimbos diários, pois a credencial tem espaço para um total de 40 carimbos. Sobretudo, é uma valiosa recordação, pois nela são carimbadas ou "selladas" todas as paradas com as respectivas datas, e vale ressaltar que alguns selos são belíssimos, fazendo alusão ao Caminho, aos símbolos, e até o próprio peregrino como mostra um site que achamos na interrnet http://www.lossellosdelcamino.com/LSC/index.htm




De posse dessas assinaturas e carimbos, você poderá requisitar, no escritório de recepção da catedral de Santiago de Compostela, o certificado oficial de conclusão do Caminho de Santiago, ou seja, a “Compostelana” ou “La Compostela que é um belo diploma escrito em latim – em tudo igual aos concedidos na Idade Média – coroando sua peregrinação.




Traduzindo...

"O Conselho desta Santa Apostólica e Metropolitana Igreja de Compostela, sob a custódia do selo do Altar do Beato Apóstolo Santiago, para redigir cartas autênticas de visita a todos os Fiéis e Peregrinos da Órbita da terra que, por afeto de devoção ou por voto, cheguem ao templo do Apóstolo Santiago, Nosso Patrono Tutelar da Espanha, faz saber a todos e a cada um que inspecione as presentes cartas que ++++++++++++++++++ visitou devotamente por piedade este santíssimo Templo.
Garantia do ques lhe confiro a presente carta, chancelada com o selo da mesma Santa Igreja.

Compostela, dia +++ de +++ do ano do Senhor de ++++"



Enquanto aguardamos nossa credenciais, ficamos na expectativa de ter em mãos este importante símbolo e, no final do Caminho, poder registrar aqui nossas credencias e a nossa Compostela, afinal o verdadeiro peregrino (ou bicigrino) há de seguir as tradições, não é mesmo?


Postado por Luciana

sábado, 27 de março de 2010

Pedal...Ando!

No caminho de Santiago é possível peregrinar da maneira mais comum, a pé, a cavalo e em bicicleta. Optamos pelas bicicletas por não dispormos de tempo para a jornada a pé e por que seria complicado enfiar dois cavalos na mala e no avião.Por isso, uma pergunta muito freqüente dos amigos é sobre as Bicicletas. Vamos levar daqui? Compraremos lá? Que tipo? Qual marca?Bem, primeiramente escolhemos comprá-las aqui e embarcá-las, já que elas entram como bagagem normal sem cobrança extra pelas companhia aéreas e precisávamos treinar com o equipamento que vamos usar. Como já foi dito em um post anterior, são bicicletas com suspensão dupla, 21 marchas, modelo CALOI, do tipo montain bike sem ser sofisticada. Apelidadas de La Templária (Luciana) e La PoDerosa (Roberto) elas serão nossas companheiras nesta viagem.



Já devidamente "batizadas e sinalizadas", elas já são companheiras constantes no nosso dia-a-dia nos treinos de manhã ou no fim de tarde. Nos finais de semana aproveitamos sempre para espichar o trajeto, pedalando em média 25 km num dia. Na semana passada prolongamos um pouco mais o treino de sábado, percorrendo uma distância de 40 km (ida e volta) saindo de nossa casa de praia em Tramandaí indo até o parque eólico de Osório, num passeio agradável em meio a zona rural.



Juntamente a estes números podemos acrescentar que o ciclocomputador (aparelho que está preso na bicicleta e marca distância percorrida do dia, tempo, velocidade e kilometragem total), já marca 558 km desde que compramos as bicicletas. É, mais da metade de um Caminho de Santiago! E de manutenção, apenas a troca de bancos (por modelo bem mais confortáveis) e 02 pneus furados (um de cada bicicleta). Nada mais! Estamos gostando muito deste novo desafio, pois o fato de ter que nos preparar para esta jornada tem contribuído para uma condição fisica melhor com mais fôlego, força, disposição e até de bem-estar mental. A propósito, recomendo a todos os passeios em bicicleta, ainda que seja somente nos finais de semana. Existem, aqui mesmo em Porto Alegre, infinitas opções de lugares além de paisagens surpreendentes. Experimente!
Postado por Roberto

video

terça-feira, 23 de março de 2010

O Caminho é POP!

Sem dúvida, um dos divulgadores mais populares deste Caminho Medieval é Paulo Coelho, quando em 1986 peregrinou de Saint Jean de Pied de Port até Santiago de Compostela, transformando esta experiência num relato publicado em livro que viraria febre em 1987 e que, mais tarde, seria traduzido para 21 idiomas: O diário de Um Mago. Atualmente, com a era da comunicação on line, a internet é o maior universo de conteúdos (pesquisa, livros, vídeos, foruns...) onde um leitor curioso e até um aspirante a peregrino possa abastecer-se de conhecimentos.
Contudo, dicas são sempre bem vindas, nao é mesmo? Por este motivo estou postanto uma dica de um filme que assistimos e nos divertimos muito. O filme "Al Final del Camiño", conta a história de um casal que precisa fazer uma reportagem com um guru argentino chamado Olmo e para tanto simulam que são um casal em crise. O guru resolve problemas sentimentais ao longo do Caminho de Santiago e apresenta a paisagem do Caminho como pano de fundo para as situações engraçadas. “Al Final del Camino” trata em tom de comédia dois temas que a arte tem ‘refletido' ao longo dos séculos: a solidão e o amor, e o que é mais complicado, a mistura de ambos na relação de um casal.



Ainda sobre cinema, uma outra noticia relevante são gravações do filme The Way, estrelado por Martin Sheen e o seu filho Emilio Estevez na região espanhola da Galícia. A produção narra a história de um oftalmologista californiano (protagonizado por Sheen) que viaja para a França depois de descobrir que seu filho faleceu durante um temporal nos Pirineus. Alí, ele descobre que seu filho pretendia fazer o caminho de Santiago de Compostela. Por isso, ele decide fazê-lo levando consigo as cinzas do filho.



Por hoje era isso queridos amigos e leiores, espero que curtam estas dicas!

Luciana

terça-feira, 16 de março de 2010

Entre altos e baixos

A temperatura mais fria desta manhã de março, trouxe a lembrança daquela noite fria que passamos em BURGOS em junho de 2005, Esta cidade da Província de Castela e Leão (Espanha), possui uma catedral impressionante e está situada praticamente no meio do Caminho de Santiago. Naquela ocasião, chegamos em dia festivo, de muito sol na cidade, e nos acomodamos num camping bem próximo ao centro. Ao cair da noite, depois de conhecer seu centro histórico, voltamos para nossa barraca e foi aí o "bicho pegou".
Frio, frio e muito frio; dormimos juntos (os três) para que pudéssemos nos aquecer. Acredito que a baixa temperatura deve ser a consequência da altitude, já que BURGOS está em média 860 m acima do nível do mar. E foi exatamente neste assunto que fiquei pensando hoje ao acordar: as altitudes do Caminho.
Em Ano Santo, como este, a quantidade de peregrinos aumenta e a lotação nos albergues, acreditamos, será um problema para nós, já que os peregrinos de bicicleta devem esperar para entrar nos albergues, pois a preferência é dos peregrinos que chegam a pé, por questões óbvias. Resolvemos levar nossa barraca, mas as noites sob o frio das altas altitudes, me preocupa um pouco.
Já estivemos olhando alguns mapas comparando os aclives e declives do Caminho por conta da dificuldade das pedaladas. Vimos que as altitudes variam, mas a média mesmo fica em 500 a 800 m, no entanto há picos de 1150 (Rabanal del Camino) a 1490 m (Cruz de Ferro). Fiquei pensando em como enfrentar tal desafio durante as pedaladas: ter força nos músculos, ter fôlego com o ar um tanto mais rarefeito, mas o pior é o frio ao cair da noite...
Melhor é não pensar muito e seguir em frente! Preparar o corpo é fundamental e a mente deve acompanhar tudo isso. Acredito na experiência única de viver este desafio na vida. Pensar em sair fora da rotina diária que, infelizmente, está povoada de violência e preocupações é um grande descanso. Para nós, as dificuldades surgirão e não será muito fácil de transpor, mas os prazeres e as agradáveis surpresas também se exibirão para nós. Então deixa a vida nos levar...
Postado por Luciana

sexta-feira, 12 de março de 2010

Prêmio Gatronômico

Além da Compostela (diploma oferecido aos peregrinos no final do percurso), há ainda um prêmio gastronômico na chegada a Santiago de Compostela: a Torta de Santiago, ou melhor, a "Tarta de Santiago". Esse Bolo feito de amêndoas e especiarias, vendido inteira ou em pedaços nas confeitarias próximas da Catedral de Santiago, trata-se de uma receita antiga que tornou-se um dos símbolos dos peregrino, enfeitada com a cruz dos Cavaleiros Templários.
Além de muito saborosa (pois já provamos desta delícia quando lá estivemos em 2005), ela também é bem fácil de se fazer. Aqui vai aqui a receita:


* Ingredientes
Para a massa:
- 1 ovo
- 125 g de açúcar
- 200 g de farinha de trigo
- Manteiga para untar
- Farinha de trigo para polvilhar
- Açúcar de confeiteiro para polvilhar

Para o recheio:
- 4 ovos
- 250 g de açúcar
- Casca ralada de 1 limão
- 250 g de amêndoas sem pele e moídas
- 1 pitada de canela


* MODO DE PREPARO

Para a massa:
Numa tigela, coloque 1 ovo e 125 g de açúcar.
Bata até a mistura espumar e os ingredientes ficarem bem
incorporados.
Junte, aos poucos, 200 g de farinha de trigo, mexendo sempre até
a massa ficar lisa e homogênea.
Abra a massa numa forma redonda de aro removível (22 cm de
diâmetro) untada e polvilhada com farinha de trigo.
Com o auxílio de um garfo, fure a massa em vários pontos e
reserve.

Para o recheio:
Numa batedeira, coloque 4 ovos e 250 g de açúcar.
Bata bem até a mistura crescer e ficar bem espumosa.
Junte a casca ralada de 1 limão, 250 g de amêndoas sem pele e
moídas e 1 pitada de canela.
Misture até ficar bem homogêneo.

Para a montagem:
Coloque o recheio sobre a massa que está na forma e leve ao forno
frio (não pré-aquecido).
Asse a 175ºC por 1h.
Retire do forno e deixe esfriar a torta dentro da forma.
Desenforme num prato de servir e polvilhe açúcar de confeiteiro


* SUGESTÃO DE DECORAÇÃO
Recorte uma cruz dos Cavaleiros Templários em papel ou cartolina, coloque no centro sobre a torta, e polvilhe com açúcar de confeiteiro. Depois, retire a cruz de papel (claro!) e bom apetite!



* NOTA IMPORTANTE:

Não vale a pena pedalar mais de 800 km para provar desta torta. No entanto, depois destes 800 km de pedaladas, saborear esta receita é um verdadeiro PRÊMIO!

Postado por ROBERTO

quarta-feira, 10 de março de 2010

Mala sem alça

Tão logo decidimos fazer o Caminho, os preparativos começaram a ser pensados. Inumeros ítens vieram em nosso pensamento, afinal, viajar para tão distante de casa pensando que, desta vez, estaremos desprovidos de tais confortos das outras viagens anteriores, como carro e hotéis a disposição, assustou um pouquinho. Bem, confesso que na primeira noite isso não conta, já que, para começar o Caminho desde Roncesvalles, teremos que sair de Madri e chegar a Pamplona, descansar da viagem de uma noite inteira, montar bicicletas e pegar um táxi até Roncesvalles, afinal o que virá depois...UFA! E, por isso, nossa primeira providência, depois das compras das passagens aéreas, foi a compra das bicicletas para os treinos e equipamentos para nossa segurança e conforto como capacetes, ciclocomputador, bomba de ar e reparos para pneu furado, capa de chuva, garrafinha de água, luvas de proteção, roupa apropriada, etc. Depois, pensando em nossa estadia, compramos a barraca e sacos de dormir, já que em Ano Santo, melhor é não ter surpresas do tipo "não há vagas no albergue". Depois vieram os alforges (malas) e os bagageiros de bici, para que pudessemos levar nossas roupas e demais utensílios (ferramentas, alguns remédios, ítens de higiene pessoal, etc). E foi aí, que tudo começou a preocupar... Como "carregar" tudo isso na Bicicleta e, ao mesmo tempo evitar o peso?! MISSÃO quase I-M-P-O-S-S-Í-V-E-L!
Entretanto, nem pensar em aumentar o tamanho da mala, por isso, resultado: retira o casaco para desfilar no aeroporto, aquela calça jeans cheia de acessórios, sapatos então...exclui os cintos, o kit de maquiagem, enfim, coisas que, sendo mulher, são indispensáveis a vaidade feminina.
Ainda não fiz a minha modesta "malinha": acho que levarei mesmo só algumas bermudas, camisetas, além de peças íntimas, meias e 02 toalhas de rosto e outras coisinhas de 1ª necessidade...isso tudo ainda para ,entre um albergue e outro, ser lavado diariamente, porque, acreditem tudo o que a gente deseja depois de um dia de grande esforço e infinitas pedaladas, é um bom banho e roupas limpas!
Para as minhas leitoras, e amigas, prometo tirar uma foto da minha bagagem e postar aqui tudo o que resolvi levar para esta jornada. Mas cá entre nós gurias: se tiver "espaço", prometo levar um rímel, um batom, um esmalte e lixa para unhas, uma rasteirinha bem charmosa e até aquele pretinho básico...

Postado por Luciana

funny animated gif

sexta-feira, 5 de março de 2010

As "pegadas" de Compostela

A Vieira de Santiago ou Concha de Santiago é o símbolo mais representativo do Caminho. Ele se apresenta sob diversas formas como bronze, cerâmica, de etiquetas, gravuras, etc., sendo o sentido a seguir indicado pelos “dedos” da vieira, ou seja, o lado aberto da concha indica a direção de Santiago de Compostela.



Com o passar dos anos, a concha deixou de ser eficaz em termos de sinalização do Caminho. Devido à tendência dos peregrinos levarem estes objetos como “recuerdo”, eles foram desaparecendo pouco e pouco. Entretanto, depois de o Caminho de Santiago ter sido classificado como Itinerário Cultural do Conselho da Europa, foi criada uma concha estilizada amarela sobre fundo azul foi assumida como símbolo identificador europeu do Caminho de Santiago. Assim, esta concha passou a ter carácter de logotipo oficial, identificando apenas a presença do Caminho de Santiago. Deste modo, este logotipo mantém sempre a mesma posição, deixando agora de indicar qualquer direção. Esta situação veio causar alguma confusão entre os peregrinos menos avisados, uma vez que os “dedos” da concha podem agora indicar uma direção bastante diferente daquela que é a verdadeira direção do Caminho de Santiago. Existe apenas um local cuja vieira na placa marca “dedos” apontando para baixo, mas neste caso há uma justificação: ela está em Finisterra, o fim do Caminho (e o Fim da Terra) lembrando que, na verdade, o Caminho não termina em Santiago de Compostela onde está enterrado os restos mortais do apóstolo Tiago, e sim até Finisterra por onde os restos mortais do Santo teriam chegado vindos do mar.



Outra identidade de grande relevância, são as “Flechas Amarillas” ou setas amarelas, começaram a ser pintadas em 1980 pelo Padre Elías Valiña Sanpedro, Pároco do Cebreiro, a primeira localidade galega do Caminho Francês. Desde então, foram-se espalhando por todos os caminhos e atualmente são o meio mais seguro de seguir o Caminho de Santiago sem grandes preocupações. A razão porque as setas são amarelas e não de outra cor, tem também uma explicação: elas começaram por ser pintadas com o resto da tinta de marcação de umas obras na estrada, que os trabalhadores ofereceram ao Padre Elías.

Essas indicações são indispensáveis aos peregrinos, mas, muito mais do que isso é a simbologia que tudo isso envolve. Sendo tão milenar esta rota, cada placa ou marca traz consigo a história de inúmeras peregrinações, de sentimentos repletos de fé e persistência, não apenas por indicar a direção para o grande encontro frente ao túmulo do apóstolo Tiago, mas para um encontro ainda maior: o encontro consigo mesmo!

Postado por Luciana

quinta-feira, 4 de março de 2010

O Caminho que nos espera...

Muitos já ouviram falar do Caminho de Santiago. Já surgiram muitas reportagens sobre o assunto, no entanto, mesmo para aqueles que já leram o Diário de um Mago de Paulo Coelho, ainda ficam em dúvidas sobre onde ele inicia, quantos quilômetros ele tem...
Estas perguntas são freqüentes dos amigos e demais pessoas que tomam conhecimento de nossa aventura. Faço aqui um breve explicação, porém, sugiro que pesquisem na internet o vasto material e relatos dos que já fizeram, e quem sabe um dia, você também possa fazer parte do grupo privilegiado de peregrinos ou bicigrinos (peregrinos de bicicletas).
Os Caminhos de Santiago são vários, porém o mais famoso é o que vamos fazer: o Caminho Francês. Inicia-se na cidade francesa de San Jean Pie de Port junto a fronteira da Espanha, no meio de uma cadeia de montanhas chamada Pirineus. A primeira cidade do lado espanhol, da qual partiremos, chama-se Roncesvalles, um pacata cidadezinha com, acreditem, 24 habitantes (censo de 2007). O Caminho segue pelo norte da Espanha, cruzando pela parte alta do país até chegar a Santiago de Compostela, ultrapassando 800 km entre subidas e descidas. No mapa abaixo, é possível ver que passaremos por inúmeras cidadezinha e povoados, em sua grande maioria com idade bastante avançada, já que esta rota tem mais de 1000 anos; pueblos que até os dias de hoje, tradicionalmente servem e acolhem os peregrinos em seus albergues, hostais e até campings. Em cada cidade ou povoado, é possível ver prédios e monumentos seculares, uma quantidade sem fim de igrejas e lendas sobre as peregrinações. O Caminho é bem sinalizado com flechas amarelas pintadas em árvores ou pedras (uma assunto para um outro POST) até as placas de sinalização mais modernas. Por hora era isso: mantenha-se a direita e "buen camiño"...

Postado por Roberto


terça-feira, 2 de março de 2010

Pedais de Vento...

Já fazia algum tempo que não andava de bicicleta...Para dizer a verdade, já nem mais me lembrava quando havia sido a última longa pedalada! Assim que decidimos fazer o Caminho, tive que reaprender a "bicicletar", e mais que isso, trabalhar o pensamento para seguir em frente, vencendo o cansaço e a preguiça de acordar bem cedinho, encarando cada dia de treino como se fosse uma consquista, uma grande vitória.
Compramos nossas bicicletas em OUTUBRO (2009) para que pudessemos ter tempo para treinar. E, sendo nossas companheiras deste novo desafio, resolvemos batizá-las como La PoDEROSA e La TEMPLÁRIA. Parceiras para esta jornada tão emblemática, estas duas bicicletas estilosas, possuem suspensão dupla (dianteira e traseira), 21 marchas, bons freios, e um sobrenome conhecido: CALOI.
Os treinos durante a semana, acontecem diariamente a partir das 6:30h da manhã, incluindo sábados e domingos. Sempre que temos tempo nos finais de semana, escolhemos percursos maiores de 20 ou 30km por dia. Entretanto, os 10 km diários de subidas e descidas, aqui mesmo, perto de casa, são realizados em torno de 45 mim. No começo, confesso que achei que não fosse conseguir, já que o esforço resultava numa falta de ar e até uma ardência nas pernas...Mas, como disse antes, trabalhar o pensamento é fortalecer-se também.
Penso que não há CONQUISTA SEM LUTA, e assim vou seguindo dia-a-dia, na esperança de chegar o momento do embarque "vendendo fôlego e força". Enquanto este dia não chega, vou trilhando meu Caminho Pessoal, a partir daqui e de agora, exercitando minha persistência e redescobrindo, com o vento batendo no rosto, mais um dos prazeres em VIVER...


Postado por Luciana










"O homem é o único ser na Natureza que tem consciência de que vai morrer. Mesmo sabendo que tudo irá acabar, façamos da vida uma luta digna de um ser eterno."

Paulo Coelho em O Diário de Um Mago